Eventos, Factos, Reflexões, Trends

A Res Publica vista por um empresário

Surge-me este post por ocasião da tomada de posse ontem do XIX Governo, que marca seguramente um virar de página nos destinos do nosso país.

É curioso constatar como a nossa forma de ver o mundo muda conforme as nossas circunstâncias e vivências…

Até há dois anos atrás, quando na minha actividade profissional eu me limitava a trabalhar para alguém e esperar um ordenado ao fim do mês, lembro-me que olhava para as eleições como olha um adepto de um clube de futebol para um “derby”: basicamente, torcemos pelo nosso “favorito” e tudo o que de mal aconteça é culpa do adversário ou do árbitro 😉

Dei por mim a mudar radicalmente a minha perspectiva sobre a condução dos destinos da nossa Res Publica quando me tornei empresário. De facto, a responsabilidade de desenvolver um negócio, de gerar receitas, de gerar emprego, de fazer boas transacções e de pagar salários fez com que deixasse de olhar para as eleições como um simples membro de uma claque…

Para mim, mais importante que ganhar o meu “favorito”, o que se tornou absolutamente prioritário é que das eleições saiam soluções governativas estáveis, que durem uma legislatura e que permitam que a economia funcione.

Sejamos claros: não advogo o absoluto pragmatismo tecnocrático dos executivos, devidamente liofilizados numa solução governativa “apolítica”! Isso não existe e todos nós temos preocupações e preferências que devem justificar a opção que se traduz no nosso voto. Sempre votei em consciência e confesso que não entendo quem se queixa da vida e nunca votou, ou quem se abstém de escolher, votando em branco…

Todavia, após a expressão de liberdade que é a opção por via do voto, aquilo que para mim é importante é que o país funcione, e que haja condições para que nos deixem trabalhar.

Ao longo dos últimos tempos, confesso que sentia que Portugal estava semi-esquizofrénico… na verdade, via um país nos noticiários que podia ser definido pela palavra “desastre”, tal era o turbilhão de notícias sobre a crise e as ameaças que pairavam sobre nós. Por outro lado, sempre que saía à rua, encontrava um país diferente: o país de quem continuou a trabalhar, com a serenidade possível, garantindo que tudo continuava a funcionar da melhor forma.

É pois desse país que falo: daqueles que, todos os dias, usam o seu talento para fazer cumprir Portugal. E repito: agora deixem-nos trabalhar!

Não quero deixar de dar aqui uma nota de apreço e esperança relativamente ao novo elenco governativo. Confesso foi uma agradável surpresa por:

  1. Ser um governo de caras novas”, que potencia um refrescamento na forma de fazer política e de olhar os problemas;
  2. Ser um governo com uma média etária surpreendentemente nova, que potencialmente quebra com a tradição de um certo “carreirismo político”;
  3. Ser um governo com uma boa dose de “estrangeirados”, que trazem mundo à governação;
  4. Ser um governo com uma boa dose de independentes, que trazem espírito crítico à governação;
  5. Ser um governo pequeno, que é um exemplo virtuoso e que encoraja a eficácia.

Quero destacar do elenco governativo dois nomes, que me parecem bons exemplos do que pode ser esta mudança de ciclo:

  • Nuno Crato – um dos nomes mais conceituados da nossa Ciência, Nuno Crato é um democratizador da Matemática em Portugal, um divulgador de ciência e um acérrimo defensor do mérito. Dele podemos esperar o melhor para a Educação e Ciência;
  • Paulo Macedo – gestor de renome, que tive o privilégio de conhecer no Millennium BCP, foi talvez o Director Geral dos Impostos mais competente que Portugal já teve. Ninguém melhor para profissionalizar uma área como a Saúde, que precisa de ser eficiente sem deixar de cumprir a sua imprescindível missão.

Resta-me desejar que este Governo tenha a melhor sorte possível, a bem de Portugal. Independentemente das minhas opções pessoais, estes seriam sempre os meus votos enquanto empresário português.

Votos de bom trabalho! 😉

Factos

Portugal no seu melhor (apesar do FMI)

Nestes tempos conturbados, em que o FMI nos bate à porta, não quis deixar de dar nota de 3 exemplos de que nos devemos orgulhar:

  1. António Horta Osório, o primeiro português a liderar um dos mais importantes bancos britânicos – o Lloyds (depois não digam que os povos do sul não sabem lidar bem com números 😉 !);
  2. António Barreto, o pai da Pordata, que estreou a sua primeira exposição de fotografia, provando que nunca é tarde para revelar os nossos talentos ocultos!
  3. Vítor Frutuoso, Manuel Alves de Oliveira, Nelson de Carvalho e Fernando Andrade, autarcas que, à frente das Câmaras de (respectivamente) Marvão, Ovar, Abrantes eAguiar da Beira, conseguiram provar que, com engenho, arte e determinação, se pode reduzir o endividamento das autarquias entre 48% e 82%!

A todos eles os nossos parabéns!

Recomendações, Reflexões, Trends

Nós e a Crise – V

Há dois dias atrás o Jornal de Negócios publicou a sua edição especial de 7º aniversário (parabéns ao JN!), e dedicou-a a um tema que constituiu um verdadeiro caso de serviço público: Portugal Antidepressivo.

Numa meritória reacção de combate ao estado de maledicência e pessimismo que grassa em Portugal, o Negócios desafiou os leitores a relatar exemplos de casos de sucesso e boas práticas por todo o país, tendo daí resultado um impressionante acervo de exemplos a seguir como inspiração!

Pegaram nesses testemunhos, pediram a um conjunto de personalidades de referência da sociedade portuguesa que acrescentassem os seus “exemplos virtuoso” e saiu um caderno de elevadíssima qualidade, que nos mostra o Portugal de que hoje não se fala: o Portugal dos empreendedores, o Portugal dos criativos, dos talentosos, perseverantes e vencedores, o Portugal que gera os milhões do nosso PIB e que espalha o nosso bom nome no mundo… sim, porque esse Portugal existe!

Obrigado ao Jornal de Negócios pela iniciativa, tão necessário nestes tempos de crise (e não deixem de ler essa memorável edição 😉 !)

Deixo ainda uma referência a uma meritória iniciativa da Liberty Seguros, intitulada Portugal Positivo.

Enjoy it! 😉

Eventos, Factos, Recomendações, Trends

Bologna for Students

Para fechar bem a semana, mais uma história do que se faz bem em Portugal: o Bologna for Students.

O Bologna for Students é um software de gestão para estudantes, inspirado na Reforma de Bolonha, que aplica os conceitos básicos de gestão à vida universitária: gerir o desenvolvimento de competências, o tempo, organizar tarefas e responder às exigências de Bolonha nas universidades.

Este é um software 100% português, desenvolvido pela Innovation Point, uma start-up tecnológica de Braga. O projecto começou em 2007, e envolveu uma equipa de docentes universitários, coordenada pelo Professor José Mendes, da Universidade do Minho.

O B4S é um software gratuito, financiado por publicidade embutida na aplicação, uma vez que o seu público-alvo (estudantes) não está vocacionado para pagar pelo software que usa. Os mais de 2500 downloads do software só em 2009 confirmam que esta já é uma aposta ganha.

Parabéns ao Bologna for Students!

Deixo-vos um breve vídeo de apresentação do B4S. Enjoy it 😉 !

Eventos, Factos, Trends

Portugal no seu melhor!

Continuando a onda positiva com que quis abrir o ano de 2010,  quero partilhar convosco dois casos do que se faz de melhor no nosso país, e que provam que as novas gerações são muito mais prometedoras do que alguns arautos da desgraça nos querem fazer crer!

Deixem-me falar-vos primeiro da Liliana Fernandes: esta jovem de 28 anos mudou-se há um ano para Fontainebleau, para fazer o MBA do INSEAD. Nesse âmbito desenvolveu um projecto empresarial na área das telecomunicações, cuja qualidade a levou a conquistar o terceiro lugar no INSEAD Business Venture Competition, entre 480 alunos de todo o mundo (ver notícia).

A história da Liliana ilustra o perfil dos talentos do futuro: está recheada de ambição, cosmopolitismo e determinação.

Licenciou-se em Economia na Nova em 2003 e fez Erasmus na Holanda. Começou a carreira na Deloitte e em 2005 volta à universidade, para uma pós-graduação em Finanças. Em 2006 lança-se na sua “aventura global”, indo trabalhar para a Greenwich Consulting, Em Paris e Bruxelas. Em 2007 regressa a Portugal, indo para a KPMG e em 2009 vai então para Fontainebleau, para o MBA do INSEAD.

A partir de agora, a Liliana integra a lista de honra dos alumni de uma das mais prestigiadas business shools do mundo. Parabéns, Liliana!

O outro caso que vos trago é o da Margarida Melo, jovem investigadora e docente portuguesa da Universidade de Coimbra que, com apenas 29 anos, ganhou o Prémio Michelle Cuozzo, da Università degli Studi di Roma (ver notícia).

Margarida Melo desenvolveu a sua tese de doutoramento na área da Geometria Algébrica, tendo desenvolvido uma aplicação informática para reforçar a segurança de comunicações encriptadas.

O prémio, que  atinge um valor de 12 mil euros, visa recompensar o trabalho desta investigadora que, desde há 4 anos, reforça a equipa do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Parabéns, Margarida!

Desafios, Eventos, Trends

Fundação Talento: construir o futuro de Portugal

Estive ontem no jantar de lançamento da Fundação Talento em Lisboa. Foi um prazer e uma honra fazer parte desta iniciativa, um verdadeiro movimento da sociedade civil ao serviço do futuro de Portugal.

Antes de mais quero deixar uma palavra de apreço e admiração para o meu amigo Tiago Forjaz, um dos maiores visionários da minha geração, que ousa sonhar em grande e que se atreve a ser consequente, empreendendo.

O Tiago teve um sonho: fazer do talento a força motriz da competitividade do nosso país. Contra todos os “velhos do Restelo”, contra todas as adversidades, o Tiago tem vindo a construir este sonho nos últimos anos:

  • Primeiro com a iniciativa Star Tracking – a Odisseia do Talento, uma já lendária jornada pela diáspora em que descobriu o imenso talento português espalhado pelo mundo;
  • Depois criando a rede The Star Tracker – a mais inovadora e exclusiva das redes sociais e globais de talento português, com o propósito de ligar o talento espalhado pelo mundo, que ontem já congregava mais de 31.000 membros e, a partir de hoje, sabe-se lá quantos mais (sim: finalmente já podemos convidar talento sem restrições numéricas!);
  • Agora lançando a Fundação Talento, cuja missão é descobrir e apoiar o talento português, transformando-o na nossa imagem de marca no mundo.

Os trabalhos ainda agora começaram: os mais de 600 fundadores que se juntaram em 15 cidades do mundo já contribuíram com centenas de referenciações de talentos a apoiar e de talentos a convidar para Senadores da Fundação.

Mas este esforço de mapeamento agora é global: toda a sociedade civil pode participar!

Por isso, meus amigos, vamos a isso! A Fundação Talento precisa do vosso contributo!

Ao Tiago o meu grande abraço: parabéns pela iniciativa e continua a sonhar! Só assim construímos o Portugal dos nossos filhos…

Deixo-vos com alguns vídeos relacionados com o tema.

Enjoy it 😉

Factos, Recomendações, Trends

Magalhães: o talento também se constrói a longo prazo

Este é um post que surge como comentário que não resisti a fazer à leitura do blog Ideias em Série, que hoje tem um excelente post chamado “Geração Magalhães”.

Como tive a oportunidade de lá comentar, saúdo o autor deste post, pela lucidez da análise que faz e pelo orgulho que denota na iniciativa “Magalhães”. O post foi extremamente esclarecedor, e deita por terra muita da maledicência gratuita que foi por aí sendo feita nos últimos tempos.

A iniciativa “Magalhães”, com todos os defeitos e limitações que possa ter, é algo de muito positivo para o país e devemos orgulhar-nos dela. Para o percebermos, basta visitar um  espaço como a FNAC e perceber a reacção da grande maioria dos seus visitantes ao Magalhães, como Paulo Querido tão bem comentava ainda há dias.

Já basta de Velhos do Restelo que muito criticam mas nada fazem pelo País onde vivem.

Como “net evangelist” que hoje sou, não poderia estar mais satisfeito. As vantagens potenciais desta iniciativa, seja por via  da inovação colaborativa, seja por via do potenciar da Web 2.0 superam claramente os potenciais riscos daí também resultantes (assim haja uma postura responsável e pedagógica por parte de pais e educadores).

Também sou um “talent evangelist”, e estou muito optimista exactamente pelas mesmas razões. Acredito que ainda há muito a fazer, mas também acredito no “efeito de contágio” que iniciativas positivas como esta podem gerar na mudanca de hábitos e mentalidades.

Estou certo que uma geração “ligada” será certamente uma geração onde o talento tem melhores condições para se desenvolver.

Um grande bem-haja ao Ideias em Série por ter a coragem de não ir atrás da moda de dizer mal de tudo o que se faz no país, bem no espírito de outras iniciativas baseadas no orgulho em ser português, como o Star Tracker.

Não deixem de ver o post e apreciem o vídeo que lá está. Vale bem a pena!

Enjoy it 🙂

Eventos, Recomendações

Acredita Portugal…

Mais um post inspirado na leitura das crónicas da Laurinda Alves no Público da passada sexta-feira.

De tal forma estou fã da Laurinda que o seu blog já aparece nos meus favoritos (Mind Snacks) 😉 .

Desta vez a crónica que me inspirou chama-se “Correr por um sonho”, e fala-nos do José Miguel Queimado, um jovem de 25 anos, com um perfil já bem internacional e cosmopolita (Paris, Londres, Whashington), que está fora de Portugal desde os 18 anos, mas que voltou para trabalhar numa multinacional desde segnda-feira passada.

Antes de começar, decidiu fazer umas férias diferentes: passar 15 dias a correr 800 kms por Portugal, para divulgar uma associação sem fins lucrativos – Acredita Portugal – que se bate pelo optimismo e pela crença nas virtudes do nosso país.

Este jovem, membro natural da rede Star Tracker, é um dos talentos portugueses que contribui de uma forma original e generosa para o aumento da auto-estima do nosso país, e mostra como qualquer profissional de excelência pode e deve igualmente ser um cidadão exemplar, inspirando os outros numa perspectiva também ética e moral.

Este é, aliás, o tema do meu último artigo, publicado na RH Magazine, sobre Ética nos Negócios

Porque não há talento sem sentido, e esse sentido é resultado da matriz de valores que nos guia e que a sociedade reconhece (ou não).

Que o exemplo do José Miguel Queimado nos sirva de inspiração.

Boas leituras 🙂 !

Eventos

Star Tracking Lisboa 2008: proudly portuguese!

Ontem ocorreu no Campo Pequeno um evento a todos os títulos notável: o encontro global de talentos Star Tracking Lisboa 2008, que fechou um périplo mundial pela rede global de talentos portugueses espalhados pelo mundo, e que passou por Londres, Paris, Madrid ou Nova Iorque.

Porque considero este evento notável:

  1. pela capacidade de mobilização em torno do lema “proudly portuguese”
  2. pela “democratização” do conceito de talento, não numa lógica de nivelar por baixo, mas sim numa lógica de elevar o nível de aspiração e ambição
  3. pela afirmação do valor que temos enquanto pátria
  4. pela “montra” de talentos gerada, e pelos bons exemplos partilhados
  5. pelo espírito positivo vivido
  6. pelo orgulho que transbordava na sala
  7. pela projecção mediática conseguida: o país precisa de saber que o talento existe e precisa de elevar a sua auto-estima
  8. pelo envolvimento dos mais altos responsáveis do país (e o que isso simboliza)
  9. pelo capital de esperança gerado
  10. pela responsabilidade e expectativa que todos sentimos em prosseguir esta caminhada

Foi um evento de grande monta, complexo, que poderia ter eventualmente corrido melhor em alguns aspectos, como hoje já se discutia nos (exigentes) fóruns da rede The Star Tracker, mas que foi globalmente um sucesso.

Ao Tiago Forjaz, ao Pedro Brito e toda a restante equipa que rodeia estes talentos de quem tenho o orgulho de ser amigo, os meus mais sinceros parabéns.

Tivemos oportunidade de fazer network, pudemos rever também caras conhecidas, pudemos testemunhar exemplos marcantes de talento e partilhar sonhos com talentos portugueses de projecção mundial.

Destaco as intervenções dos 3 convidados: Camilo Rebelo (arquitecto de renome mundial), Paulo Taylor (o “pai” do famoso EBuddy, sabiam?) e do Ricardo Diniz (velejador solitário que vai dar a volta ao mundo).

Que os seus exemplos sejam inspiradores para todos nós.

Para quem queira saber mais sobre o The Star Tracker, deixo-vos aqui a opinião da conhecida jornalista Laurinda Alves (leiam os comentários, que são vários e extremamente interessantes!)

Para quem queira saber mesmo como foi, aqui vai a reportagem integral, generosamente cedida pelo “blog amigo” – Lugar do Conhecimento (não percam, está excelente!).

Destaque ainda para a inovação lançada ontem à noite na rede The Star Tracker: os Talent Tags. Pela primeira vez, o nosso talento deixa de ser definido pelo nosso CV, pelos nossos títulos, pelo nosso “pedigree”, e passa a ser definido pelos atributos e qualidades que os outros vêm em cada um de nós.

Esta inovação, absolutamente inédita, é talvez o maior contributo para a gestão do talento e para a humanização das redes sociais feito nos últimos tempos. Mais uma vez estão de parabéns!

Proudly Portuguese! Sempre!

Desafios

Proudly Portuguese!

Calhou tropeçar há dias num dos muitos fóruns que proliferam no Star Tracker, e que se centrava numa coisa muito simples: pedia-se aos membros da rede que enumerassem uma (e apenas uma) razão para termos orgulho em Portugal e em sermos portugueses.

Este pedido, aparentemente simples e singelo, teve um efeito surpreendente: mais de uma centena de sugestões, quase todas bem pertinentes e fundamentadas, e das quais provavelmente muitos de nós nem nos lembramos no rame-rame das nossas lusitanas lamentações, apesar de serem muitas delas bem conhecidas de todos nós.

O lema “proudly portuguese”, que o Star Tracker lançou, é pois bem justificado, como mostra esta pequena lista de destaques que aqui vos deixo.

Lembremo-nos no dia-a-dia dos bons exemplos, para que nos inspirem, em vez dos maus exemplos, que só nos desanimam.

Boa jornada!

Inovações

  • Caixas automáticas de multibanco em Portugal
  • Governo português online/modernização administrativa…
  • VIA VERDE
  • Cartões de telemóveis recarregáveis

Produtos-bandeira

  • Vinho do Porto
  • Vinhos portugueses
  • Porco preto de Barrancos
  • Cozido à Portuguesa
  • Azeite
  • Pastel de Nata
  • MATEUS ROSÉ

Produtos “surpresa”

Empresas/Marcas


Outros símbolos de orgulho

  • Revista Attitude – Projecto Editorial de enorme qualidade feito no Porto para o Mundo…
  • A loja “Alma Lusa” em S. Bento / Rato…
  • Projecto – Parque das Nações
  • Costa Vicentina
  • Marisa, Madredeus, Moonspell