Desafios, Factos, Reflexões

Angola profunda

Planalto da Lunda
Instantâneo tirado a caminho da Catoca

Escrevo este post no planalto da Lunda, mais concretamente no complexo da Sociedade Mineira da Catoca, uma diamantífera próxima da localidade de Saurimo, perto da fronteira nordeste de Angola.

Chegar cá foi uma verdadeira jornada, num total de nove horas de avião, três escalas e muito espírito aventureiro à mistura com alegria e boa disposição, tão típicos deste grande povo angolano, que tão bem me recebe sempre que venho cá em missão!
Esta é a primeira vez que venho a Angola e saio do perímetro metropolitano de Luanda. Apesar de continuar a viajar em missão de trabalho, esta viagem ajudou-me a ver um pouco da Angola profunda, que não se vê em Luanda.
Quem conhece Luanda sabe que é uma imensa metrópole, sobrepopulada, que alia à sua beleza típica da zona histórica e da baía o preço da centralidade: tráfego infernal, grande agitação, a par com um ritmo de desenvolvimento avassalador.
Saindo de Luanda, continuamos a observar uma nação com uma dinâmica de crescimento impressionante, mas ajustada a um ritmo de vida mais tranquilo, apesar de alegre e animado.
Pude observar grandes extensões de paisagem natural de imensa beleza, tive um vislumbre de pequenas aldeolas feitas de cubatas tradicionais, vi crianças a brincar alegremente ao ar livre, mas também vi (muitas) mulheres a lavar roupa num riacho, fruto de um desenvolvimento que ainda tem muito para dar às populações do interior.
Conheci Saurimo, uma pequena cidade, bonita e bem conservada, exemplo de como se pode ter um estilo de vida mais pacato sem que isso signifique menos desenvolvimento. E estou presentemente a conhecer um potentado da indústria mineira, fruto de um consórcio entre quatro grandes empresas multinacionais, de origens tão diversas como Angola, Rússia ou Brasil.
É impressionante constatar como uma unidade industrial que não se limita a explorar o seu negócio se pode tornar um motor de desenvolvimento para uma região inteira. A Catoca, para além de dar emprego à população local, tem projectos inovadores ao nivel ambiental, nomeadamente no que diz respeito ao tratamento de água, contribuindo para a melhoria do nível de vida da população.
Mas não se fica por aí. Tive oportunidade de ver, a caminho de cá, algumas das diversas escolas primárias construídas e oferecidas pela Catoca às localidades circundantes, contribuindo assim para a formação de mais de 2000 crianças na região.
Notável é também o esforço e o investimento colocado na formação e qualificação dos seus quadros, razão aliás que me trouxe a este fantástico ponto do mundo. Nos próximos dias irei ter oportunidade de conhecer melhor a fibra desta gente notável que, aqui no meio do planalto da Lunda, constrói o futuro todos os dias. Estou certo que vai ser emocionante 😉
Factos, Recomendações

Angola revisitada

image

image

Estive em Fevereiro passado de novo em Angola, numa missão relâmpago (48 horas) ao serviço da Presidência da República.
Para além do trabalho que lá me levou, pouco mais tempo tive para mim… Apenas o suficiente para um jantar descontraído com grandes amigos que lá estão também em missão, mas no caso deles de longa duração 🙂
Fomos jantar a um local já mítico entre os conhecedores de Luanda: alguns chamam-lhe Dona Elsa (em homenagem àquela que era a antiga dona e autora das diversas iguarias que ali podemos comer), enquanto que outros lhe chamam simplesmente «Naquele Lugar».
Situado discretamente num dos extremos da baía de Luanda, no bairro circundante da famosa Fortaleza, para lá chegarmos temos de passar um pacato controlo militar, pelo que convém irmos acompanhados de um frequentador habitual.
Lá chegados, espera-nos um ambiente agradável e descontraído, o melhor bife de pimenta do mundo e as inesquecíveis «cucas» geladinhas 🙂 recomendo vivamente!!!
Para além da excelente experiência convivial e do intenso trabalho, encontrei uma Luanda que continua com uma grande dinâmica económica e social, visível não só pelo crescimento e melhoria das infra-estruturas, como também pela cada vez mais significativa renovação dos quadros angolanos, mais qualificados e exigentes. Só espero que o contributo dos expatriados continue a ser apreciado…
Continua assim a ser um destino que recomendo, e ao qual espero regressar em breve 😉

Eventos, Factos, Trends

Mentes Brilhantes em Luanda

luandaO Mentes Brilhantes mudou-se temporariamente para a fantástica cidade de Luanda. Com grande pena minha, é só até ao final da semana.

É sempre um prazer voltar a esta metrópole quente e cosmopolita, onde a actividade é fervilhante e o progresso um espectáculo em todo o seu esplendor.

Esperava ver sinais de abrandamento económico, tendo em conta a baixa do preço do petróleo e os sinais dados pelo governo de Angola para haver contenção… todavia tal ainda não se verifica no pulsar da cidade, que continua pujante de actividade económica.

De facto, desde Novembro passado, altura em que cá estive, não se notam grandes diferenças, a não ser no crescimento das infraestruturas (estradas, habitação, tecnologia, turismo, equipamwntos de saúde e lazer, etc.), a par com a natural evolução social de um país em franco crescimento e em plena aprendizagem do que significa prosperar em paz.

O tema do momento hoje foi a entrada em vigor do novo Código da Estrada, que obriga ao uso de cintos de segurança nos lugares traseiros dos veículos. Tal verifica-se francamente complicado num parque automóvel em que grande percentagem dos veículos não tem os ditos cintos de série…

Começo amanhã uma longa jornada de formação a quadros de uma construtora fortemente implantada na região, naquela que é a terceira contribuição que dou ao desenvolvimento deste país que tão bem me acolheu. Espero voltar mais  vezes este ano, pois o ambiente que se vive aqui é bem mais entusiasmante e optimista que aquele que se vive na velha Europa 🙂

Isso de resto pode-se confirmar pelo afluxo de expatriados a Luanda. No meu vôo falava-se mais de dez línguas diferentes, e o número de angolanos é cada vez menos expressivo nestes vôos. Segundo os últimos números divulgados, há mais de 100.000 portugueses em Angola e só o ano passado foram emitidos mais de 80.000 vistos pelo Consulado angolano em Lisboa. Basta ler a edição deste mês da Exame para percebermos o destaque dado a Angola, para onde têm migrado aliás as principais consultoras.

Luanda é hoje assim um destino económico incontornável, sinal dos tempos em que vivemos. Por isso mesmo, um dos temas que cada vez mais se coloca às empresas portuguesas é se estão devidamente preparadas para a sua inevitável internacionalização, e se dão a devida preparação e acolhimento aos seus expatriados. Mas sobre esse tema escreverei em post posterior.

Abraços e até breve!

Desafios, Factos, Recomendações, Trends

Luanda: um desafio aos talentos

3221358-my_evening_view-luandaEstive a semana passada em Luanda, para ministrar um curso de executivos a quadros de algumas das melhores empresas angolanas.

Agora que já recuperei do jet lag, não resisti a fazer um post sobre o tema, pois foi uma experiência inesquecível.

Não foi a primeira vez que estive em Angola. Há quatro anos atrás já tivera essa oportunidade. Se já na altura fora uma experiência bastante interessante, desta feita o impacto foi muito maior, pois o nível de desenvolvimento alcançado pela nação angolana nestes anos é verdadeiramente surpreendente…

… nota-se um imenso desenvolvimento económico (o crescimento a dois dígitos “respira-se” em Luanda!!!).

A cidade está a ser toda reconstruída. As infraestruturas estão muito melhores e a serem reformadas em franca velocidade. Há infraestruturas de saúde privadas de elevadíssimo nível (ao nível do que melhor se faz na Europa ou EUA). As estradas estão a ser (re)feitas e as acessibilidades ao interior já são uma realidade. Os arranha-céus nascem e crescem visivelmente dia após dia. 

Já não há só angolanos e portugueses em Luanda: só no meu avião viajavam pessoas de mais de 10 nacionalidades diferentes, falando várias línguas e de todo o tipo de etnias…

… como dizia o meu companheiro de viagem no avião, Angola abriu as portas para o mundo!

Uma nova geração de angolanos, formada nas melhores escolas do mundo está a emergir em posições-chave nas empresas. São informados e exigentes. E querem o melhor do mundo, venha da Europa, dos EUA ou da Ásia.

E tudo isto em quatro anos…

… estou verdadeiramente espantado (e encantado).

Estou convicto que o potencial de desenvolvimento do país vai permitir anos de prosperidade e crescimento, assim a boa condução dos destinos do país o permita.

E este é um excelente destino para os talentos que estejam dispostos a arriscar e a contribuir para a construção deste país de oportunidades.

Já me cruzei com muitos talentos em Luanda: vêm de todo o mundo!

Assim que possam visitem Luanda: vale a pena 🙂