Factos, Reflexões, Trends

2009: um balanço pela positiva

Nestes últimos dias tenho tido oportunidade de ler uma miríade de textos, dos mais diversos autores, nas mais diversas publicações, fazendo o balanço deste ano de 2009 que há pouco se concluiu.

Nada mais natural: a passagem de ano é propícia a balanços! Todavia, uma coisa me surpreendeu: a absoluta unanimidade em torno de uma visão totalmente negativa de 2009, quando não mesmo da década inteira (outra variante da “febre dos balanços”). Cheguei a ler uma crónica em que a frase mais forte era “uma década para esquecer“, e confesso que quase me deixei contagiar.

Sim, porque isso de falar mal e de traçar cenários negros, como tão bem faz o emérito Prof. Medina Carreira, é algo que rapidamente alastra, porque é fácil. Em Portugal está na moda este exercício de negatividade, que respeito mas ao qual me recuso aderir.

Falemos claro: não retiro a pertinência e o mérito a muitas das análises feitas, mas não me parece imparcial nem produtivo só olhar para os deméritos, fazendo de conta que não há méritos! Não me parece positivo olhar só para as causas dos problemas, e pouco discorrer sobre as soluções ou sobre os bons exemplos e as boas práticas (eu sei, eu sei: não está na moda e dá trabalho 😉 )!

Por isso, tratei de fazer um exercício ao contrário: um exercício de positividade 🙂 !!!

Comecei por recordar todas as pessoas cujo bom exemplo citei no último ano aqui nos Mentes Brilhantes:

  • Tererai Trent, e a sua jornada de sacrifício de uma aldeia em África até alcançar o seu sonho: o doutoramento!
  • Justin McMurry, e o seu exemplo de como podemos dar um contributo relevante após a reforma, em parceria com uma empresa colaborativa!
  • Steve Jobs, eleito o CEO da década!
  • António Câmara, um empreendedor, o nosso visionário e construtor do futuro, mas ao mesmo tempo um olhar lúcido sobre Portugal!
  • Cecília Arraiano, um exemplo do que melhor se faz em Portugal em investigação científica!
  • Pedro Russo, uma espécie de Carl Sagan lusitano (só que sem programa na TV 😉 )!
  • Tiago Forjaz, o pai da Fundação Talento e um dos maiores visionários do que vale Portugal no mundo!

Fiz o mesmo exercício com organizações, destacando as seguintes:

  • Apple, com o seu exemplo de inovação permanente;
  • Google, mostrando como se reinventa o futuro numa lógica open source;
  • Cirque du Soleil, enquanto exemplo de estratégia blue ocean e de responsabilidade social!
  • YDreams, ou como um sonho pode ser construído em português!
  • Instituto Camões, enquanto modelo de defesa do nosso património!

E ainda, mesmo sem ter mencionado no Mentes Brilhantes, gostaria de destacar:

A título de exemplo não está mal, certo? 🙂 Muitos outros exemplos poderiam ser dados, mas o tempo escasseia e o post tem de sair 😉 !

Fica o desafio: contribuam com mais sugestões do que fez de 2009 um ano (também) positivo! Quem se lembra de mais exemplos?

Votos de bom balanço e muitos contributos, inspiradores para um 2010 (ainda) mais positivo!